quinta-feira, 31 de maio de 2007

Through the looking glass



O Lenhadorzinho se olhando no espelho. Melhor foto de todos os tempos!

(descaradamente roubada do Orkut da Professorinha)

Update: O post também poderia se chamar "Existencialismo precoce", "quem é esse, mamãe?!?!" ou "a grande aventura de si mesmo".

terça-feira, 29 de maio de 2007

Mas a verdade é que eu sou uma pessoa abençoada.

Porque onde quer que eu vá as pessoas mais legais sempre se tornam minhas amigas.

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Just for tha sake of saying it

You have noooooooooo idea how much I care about you.
"Salve a Terra: é o único planeta com chocolate!"

(Roubado lá da Giorgia, que recebeu por e-1/2)
Hoje saí irritada da prova de histologia, marchei furiosamente até a livraria médica mais próxima, gastei 175 reais em um livro de fisiologia e me senti bem melhor. Acho que pela primeira vez entendi essas pessoas que têm 350 sapatos e estouram o cartão de crédito no shopping.

terça-feira, 22 de maio de 2007

Esse vai com um carinho todo especial para os amigos da letras

Miguxeitor. Não perca, é um incrível tradutor português/miguxês. Com variações para miguxês arcaico, miguxês moderno e neomiguxês.

(Eu quero dar um beijo de língua no sujeito que inventou isso! Eu tava precisando desesperadamente rir hoje!)

Dica dele. Obrigada, querido!!!

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Não é difícil saber o que me dói.
Difícil é fazer parar de doer.

segunda-feira, 14 de maio de 2007

(acho melhor parar de usar drogas)

The monster under my bed is called Nicodemus.
You can't really be afraid of someone called Nicodemus.

(acrescente desenhos)

sexta-feira, 11 de maio de 2007



Papapapá papapapapapá, yeah, run, run, ruuuuuuun, run, run, run awaaaaay!!!

(foi horrível, mas eu não resisti).

domingo, 6 de maio de 2007

Nota Mental #425

Parar de tentar compreender as pessoas. As pessoas não querem ser compreendidas, elas querem ser amadas.

Alguém ainda quer saber?

Sim, como a maioria, eu também responderia honestidade. Mas a verdade é que muitas vezes a honestidade magoa, incomoda e pode ser um bocado inconveniente. E na maior parte do tempo, se você observar bem as pessoas, o que a gente quer é que os outros sejam do jeito qua a gente quer que eles sejam, e não necessariamente do jeito que eles realmente são. E nós? Quantas vezes fazemos as coisas tentando ser agradável às pessoas no eterno jogo do "eu te dou o que você quer e você me dá o que eu quero" do qual todo mundo sai insatisfeito? Que honestidade há nisso? Não estamos priorizando aí a gentileza? E quando a gente reclama: "fulano mal me cumprimenta!", por que exigimos "custa ter boa educação?!" se fulano só está sendo honesto, porque na realidade nos detesta? Pelo quê abrimos mão da nossa honestidade?
Não, é claro que ninguém gostaria de ser esfaqueado pelas costas por um doce de criatura, mas será que a gente quer mesmo saber o que as pessoas realmente pensam? Será que a gente quer o que as pessoas realmente têm (ou não têm) para nos dar?

Então.

Às vezes eu acho que prefiro gentileza.
O sarcoma ganhou as eleições, Danie Fleur deve estar histérica. Eu estou.

Piada interna

"Rápido, rápido, proparoxítonas!"
Melhor frase do sábado à noite. O Club de la Serpiente estava reduzido à metade, mas continua a pleno vapor.

(Vapor, que velhice.)