sexta-feira, 30 de abril de 2010

Quem diria que eu ia me apaixonar pela faculdade justamente através da epidemio!

(Tô falando pela faculdade, gente, pela vida acadêmica, pelo tesão de fazer pesquisa em medicina. Não tô falando em me apaixonar pela medicina propriamente; essa foi através da onco.)

Grande novidade

Pessoas fofas e queridas,
eu amo vocês.

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Fazendo coisas demais e arranjando mais outras para fazer.
"E qual é a novidade?" - vocês vão pensar.
É, pois é.

domingo, 18 de abril de 2010

Haribol!

Voltei agora há pouco do templo Hare Krishna.
Cantei, dancei, ouvi ensinamentos e comi que nem uma louca.
Hare Krishnas são pessoas felizes.
















Daqui, naturalmente.
Eu não tenho TDAH, eu tenho é falta de vergonha na cara.
E preguiça maligna progressiva incapacitante.

Ah, pára! Bem capaz!



Mild ADHD Possible

sexta-feira, 16 de abril de 2010

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Ó, para fazer um testezinho de personalidade divertido, é só clicar sobre essa frase.
Individuals with Narcissistic Personality Disorder generally have a lack of empathy and have difficulty recognizing the desires, subjective experiences, and feelings of others. They may assume that others are totally concerned about their welfare. They tend to discuss their own concerns in inappropriate and lengthy detail, while failing to recognize that others also have feelings and needs. They are often contemptuous and impatient with others who talk about their own problems and concerns. When recognized, the needs, desires, or feelings of others are likely to be viewed disparagingly as signs of weakness or vulnerability. Those who relate to individuals with Narcissistic Personality Disorder typically find an emotional coldness and lack of reciprocal interest.

(Cliiiiick here!)


Pessoal que tiver de saco cheio de me ouvir falar nesse assunto teje à vontade para ir dar uma volta que com isso eu não me magoo. Tô precisando purgar umas coisas muito ruins da minha vida pessoalíssima e, dado que eu sou um bocado lerda nesse tipo de processo, a coisa aqui pode demorar um pouco.

Acho superfofo que as pessoas saudáveis me perguntam de um dia para o outro se eu melhorei (tô falando sério, não tô sendo irônica. Eu acho fofo mesmo, fico com vontade de abraçá-las.)
Se caísse só narcisismo e distimia na prova de segunda, eu gabaritava, mas como não cai só isso, tenho que me coçar e começar a estudar o resto. Urgentemente.
Bá, que fracasso! Fiz o Narcissistic Personality Inventory e consegui fazer um escore abaixo da média das pessoas saudáveis!
Será que não tem um Masochistic Persolity Inventory? Esse eu precisava testar de verdade.
"One tragedy affecting these people is their inability to love. Healthy interpersonal relationships can be recognised by qualities such as empathy and concern for the feelings of others, a genuine interest in the ideas of others, the ability to tolerate ambivalence in long-term relationships without giving up, and a capacity to acknowledge one's own contribution to interpersonal conflicts. (...)People are not viewed as having a separate existence or as having needs of their own. The individual with a Narcissistic Personality Disorder frequently ends a relationship after a short time, usually when the other person begins to make demands stemming from for his or her own needs. Most importantly, such relationships clearly do not 'work' in terms of the narcissist's ability to maintain his or her own sense of self-esteem."

(Click, baby, click.)

terça-feira, 13 de abril de 2010

Formspringue.me

Você caiu numa conversa e está querendo arrancar os cabelos, gritar, fugir. Que assunto é esse que te provoca tamanho desgosto?

Papos deliberadamente machistas, racistas, homofóbicos, elitistas,etc. Eu ando num cansaço profundo de argumentar de verdade com essas pessoas.
Outra coisa que me dá nos nervos são aquelas mulheres que dão pulinhos e gritinhos por causa de roupas e sapatos. Eu só aguento isso de uma dupla de amigas minhas que são tão, mas tão engraçadas que fazem até isso ficar divertido!

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

Formspringue.me

Qual o melhor prato que tu sabe cozinhar? Tipo "especialidade da Maritza"?

Pfffff... gente, eu não sei cozinhar. Eu grudo até miojo. Só consigo fazer alguma coisa comestível se for seguindo alguma receita, e mesmo assim nada é garantido. O que virou "especialidade da Maritza" é um bolo de chocolate cuja receita a gete ganhou da professora de Cello da minha irmã, mas é receita, né, basta você copiar e fazer, que vai ficar igual.
Cozinhar eu não sei; eu sei mesmo é comer. Aí sou especialista!

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

domingo, 11 de abril de 2010

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Vi lá no facebook

7-letter word for "lazy blogging": t - w - i - t - t - e - r.

Vi lá no facebook

A computer once beat me at chess, but it was no match for me at kick boxing.

Formspringue.me

Qual é um formispringue bem legal de seguir?

Eu sigo pouquinhos. Só conheço esses aqui, e alguns estão até inativos:

nervocalm
rafaelav
PergunteparaVi
samaraleonel
ntamasauskas
theskull
filamentmag
E o seu, né.

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

Formspringue.me

Com açúcar ou com afeto?

Com os dois.

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Essa transição entre terapeutas tá me matando de ansiedade.
E a prova de otorrino idem.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Formspringue.me

Calcinha-Capricho, Calcinha-Cuequinha, Calcinha-Fio, Calcinha-Calçolão ou langerie?

Hummm... that's for me to know and for you to find out. ;-)

(Brincadeirinha, né, pessoa. Já que eu não sei quem vc é.)

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Que ótimo! Quem precisa dormir quando se tem uma semana puxada pela frente, não é mesmo?!
Dormir é para os fracos!

domingo, 4 de abril de 2010

What are you doing?

Ok, fingindo que estudo epidemio.

Political Compass


Nah, não é para tanto.

Quer fazer o teste? É só clicar aqui.

What are you doing?

Estudando epidemio.

A propaganda de caminsinha mais legal que eu já vi.

I hope you read that. I hope something - anything - makes you a better person.

During the heyday of sexual liberation and contemporary feminist movement women found that men were often willing to accept equality in every sphere except sexuality. In the bedroom many men want a sexually desiring women eager to give and share pleasure but ultimately they did not surrender the sexist assumption that her sexual performance (i.e., whether or not she wanted to be sexual) should be determined by their desire. While it was fun to do it with willing excited, liberated females it was not fun when those females declared that they wanted a space not to be sexual. Often when that happened heterosexual men made it clear that they would need to took elsewhere for sexual release, an action which reinforced the reality of continued allegiance to a sexist paradigm of ownership in the female body as well as their holding to the notion that any female body would suffice. In a liberatory heterosexual or homosexual relationships both parties should be free to determine when and how frequently they want to be sexual without fear of punishment. Until all men cease to believe that someone other than themselves is required to respond to their sexual needs demanding sexual subordination of partners will continue.

(Link)

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Formspringue.me

Namorado com gosto musical horrível (ou pior, sem), rola ou não?

Bá, cruel essa pergunta! Eu tenho um gosto musical bem eclético, sabe. Eu tenho cá as músicas que eu ouço, mas as pessoas podem colocar as músicas que elas gostam e, na grande maioria das vezes, para mim está bom. Na aula de dança de salão eu curtia até pagode, forró, bolero, coisas que eu normalmente não costumo ouvir, mas se eu for pensar num namorado que tenha um gosto musical realmente ruim, ele teria que ouvir funk ou música gauchesca, ou sei lá, aqueles heavy metal gritados. Desculpa aí o pessoal que valoriza as raízes. Eu acho que até tem umas músicas gauchescas bem bonitas, o problema é que é um estilo que cansa rápida, ouço umas duas ou três e já enchi o saco de ouvir. Funk então nem se fala! Funk não é música pessoal, por favor! Se ele não ouvisse enquanto estivesse na minha companhia, tudo bem, mas para ouvir junto ficaria meio difícil de conviver.

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

Formspringue.me

Você preferiria encontros com várias pessoas diferentes ou estar em uma relação comprometida?

Eu prefiro estar em uma relação comprometida. Eu gosto de namorar. Eu gosto do processo de se envolver com outra pessoa, embora ele me assuste um pouco. Eu levo algum tempo para conseguir confiar e me soltar, e não tem como fazer isso apenas em alguns encontros. De modo que eu prefiro, sim, um relacionamento estável, porque apoio mútuo, carinho, companheirismo e outras coisas divertidas levam tempo para serem cultivadas entre duas pessoas.
O que eu não suporto é gente querendo me controlar. É joguinho, manipulação. Eu sou meio besta, mas tenho neurônios o suficiente para perceber, mais cedo ou mais tarde, se o sujeito tá tentando me manipular, e é uma sensação ruim para caramba.

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

Formspringue.me

O que você faz nos momentos de insuportável solidão? Por algum momento você tem a sensação de que não tem ninguém que esteja realmente contigo? Supondo que você tenha estes momentos, é claro.

Como, em geral doces, de preferência chocolate.
A segunda pergunta é bem mais difícil de responder, mas acho que a resposta é não. Eu tenho momentos de solidão profunda e às vezes insuportável, mas não é por sentir que não tem ninguém realmente comigo. Eu sinto que as pessoas estão comigo, mas tenho medo e sofro de outro(s) tipo(s) de solidão que eu não quero explicar aqui.

Verdade ou consequência? Verdade. Pergunte aí.

"Sendo a fonte de 92% dos medicamentos de AIDS utilizados nos países em desenvolvimento hoje, a Índia é considerada a farmácia do mundo em desenvolvimento. Então o impacto também transbordará as fronteiras do país," disse Leena Menghaney, representante da Campanha de Acesso de MSF na Índia. "Nos últimos tratados de livre comércio assinados com UE ou EUA, os países em desenvolvimento concordaram em introduzir regras estritas de proteção patentária que restringiam de forma drástica a possibilidade de produzir ou comercializar medicamentos genéricos a preços acessíveis. Se a Índia também incorporar essas regras, então o acesso ao tratamento para as pessoas com HIV/Aids e outros pacientes terá sido sacrificada no processo de negociação."

(Para a notícia completa, é só clicar.)